Entenda o que é Growth Hacking e quais seus diferenciais!

6 minutos para ler

O termo é novo e ainda não tem tradução para o Português, mas, sem dúvida, o Growth Hacking já é uma realidade em várias empresas no Brasil e no mundo. O “hacking para o crescimento” ou “impulso para o crescimento” pode, em linhas gerais, ser entendido como uma junção de processos capazes de fazer uma empresa crescer.

Com frequência, o growth é confundido com o Inbound Marketing – uma abordagem bastante diferente, mas que também foca na aquisição de clientes e usuários. Mas, para conhecer mais sobre esses conceitos e as diferenças entre eles, segue firme que a gente explica para você!

O que é Growth Hacking?

É um termo utilizado para definir um conjunto de estratégias focadas exclusivamente na promoção do crescimento de uma empresa. Ele é aplicado, com frequência, em empresas em estágio inicial (startups) que precisam crescer em um ritmo acelerado num curto espaço de tempo e com orçamentos extremamente limitados.

Uma boa forma de uso dessa estratégia busca ampliar a base de usuários ou clientes com a utilização de poucos recursos. Muita gente já utilizava a técnica no passado, mas o termo Growth Hacking foi usado pela primeira vez por Sean Ellis, fundador e CEO da GrowthHackers, em 2010.

Com o crescimento do conceito, precisou-se que determinado profissional estivesse dedicado à tarefa. Hoje, ele é conhecido como Growth Hacker.

Como o Growth Hacking funciona?

Não há uma receita de bolo sobre sua aplicação. Primeiramente, o profissional responsável deve entender como e por que a empresa cresce. Somente ao compreender os processos utilizados para a captação de usuários e clientes, ele será capaz de buscar maneiras de fazer isso acontecer de forma intencional e constante.

O objetivo é fazer com que o produto ou serviço seja conhecido de forma quase ou completamente viral. O exemplo mais emblemático que temos no Brasil é o case da Nubank. Ao obter um profundo conhecimento da dor de seu potencial cliente, permitiu seus serviços se tornassem sinônimo de status e deixassem a disputa pelo produto ainda mais acirrada.

Diversas startups utilizam um framework conhecido como “Funil Pirata”(Pirate Funnel). Ele foi desenvolvido por Dave McClure. A técnica segmenta o já conhecido funil de vendas, em vários estágios conhecidos como AAARRR. O rugido representa as iniciais em Inglês para: Awareness, Acquisition, Activation, Retention, Referral e Revenue.

Meio complicado? Então, vamos destrinchar um pouco mais cada um dos itens para que você compreenda melhor.

Os seis estágios do funil pirata (AAARRR)

  • Awareness (posicionamento da marca): quantas pessoas você alcançou?
  • Acquisition: quantas pessoas visitaram seu website ou app?
  • Activation: quantas pessoas deram algum passo importante (adicionaram um produto no carrinho de compras, instalaram um aplicativo ou fizeram algum cadastro)?
  • Retention: quantas pessoas voltaram uma segunda, terceira ou décima vez?
  • Revenue: quantas pessoas pagaram e quanto pagaram?
  • Referrals (indicações): quantas pessoas indicaram outras para seu negócio?

Como você pode observar, essas métricas são um excelente ponto de partida para a gestão de qualquer negócio digital, como a gestão de um e-commerce. Lembre-se de que o funil pirata é apenas um ponto de partida. Você pode e deve adaptá-lo ao seu modelo de negócio, caso julgue necessário.

Falando em adaptações, muitos profissionais e gestores confundem os conceitos do Growth Hacking com os do Inbound Marketing. E para que você entenda melhor a diferença entre ambos, vamos discutir um pouco sobre isso logo a seguir.

Quais são as diferenças entre Growth Hacking e Inbound Marketing?

O Inbound Marketing também se configura como um conjunto de técnicas de marketing digital. Porém, essas técnicas são direcionadas ao relacionamento da empresa com o cliente. A finalidade é conduzir o potencial cliente ao contato e posterior consumo de um produto ou serviço.

Esse contato se dá por meio de um relacionamento, como num namoro, até que aconteça um casamento (entre a empresa e o cliente). Como pode perceber, isso leva tempo. Com o Growth Hacking, não temos tempo e recursos para investir em relacionamentos. Então, seguindo a analogia anterior, é como ter alguns “encontros” de carnaval: vários usuários tomando contato com a empresa.

Ao conhecer as diferenças entre os procedimentos, sua empresa pode ser capaz de escolher o método mais eficaz para sua realidade, pois, ao depender dos altos e baixos do mercado, a aplicação de um ou outro pode não trazer os resultados esperados. Porém, algumas empresas já utilizam ambos em determinados cenários.

Como o Growth Hacking pode ser usado em conjunto com o Inbound Marketing?

Infelizmente, não é recomendável incluir uma estratégia de Inbound em cima do Growth. Seria como pedir em casamento uma pessoa que você acaba de conhecer. Mas o contrário é plenamente possível de acontecer.

Nesse segundo cenário, o Growth serve para aparar as arestas deixadas pelo Inbound, tornando-o mais efetivo a cada ciclo. Aqui, novos leads poderão ser adquiridos por técnicas simples, como um pop-up antes da saída do usuário, ou, até melhor, convertidos ao se inserir um banner direcionando o usuário para uma página de conversão.

Mas se perder entre os dois conceitos não é algo difícil. Para evitar que isso aconteça, a equipe deve realizar um planejamento prévio – porém flexível – e promover as adaptações necessárias a cada etapa do funil, tendo um objetivo claro em mente.

Normalmente, o que leva as empresas a escolherem trabalhar com as duas técnicas em conjunto é sua efetividade. É o mesmo que ir acampar levando consigo uma caixa de fósforos e mais um isqueiro. A fogueira será acesa por um ou por outro.

Em poucas palavras, podemos dizer que, independentemente do método a ser seguido, a empresa necessita ter um conhecimento detalhado do seu público, uma grande atenção sobre a experiência do usuário e o respeito ao cliente. Esses três fatores são a chave das empresas que têm se tornado unicórnios no Brasil recentemente.

Mas, mesmo que você não tenha a intenção de se tornar uma delas, o Growth Hacking pode e deve ser utilizado em algum momento. E se, ao ler este texto, você já está coçando os dedos para pôr em prática alguma estratégia, siga as redes sociais do Opiniões Verificadas. Estamos disseminando muita informação importante para você e seu e-commerce.

Powered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe um comentário